Pix vai ser cobrado? Saiba se é verdade!

A respeito da notícia se o Pix vai ser cobrado, adiantamos que não, ele continua sendo

  • Totalmente de graça para pessoas físicas
  • Disponível para todos
  • Sem nenhuma restrição

Ou seja, o que aconteceu nas últimas semanas é um verdadeiro boato que caiu na boca do povo e causou uma grande preocupação em uma parte da população que acreditou na fake news.

É importante ressaltar que o Banco Central não tem interesse em fazer nenhum tipo de taxação ou incluir impostos no Pix.

Até porque o sistema de pagamentos instantâneo se tornou o queridinho dos brasileiros e já faz parte da rotina das pessoas. Para reafirmar isso, no mês de dezembro de 2022 bateu o record de 104,1 milhões de transações por dia, segundo informação do Banco Central.

Sendo assim, saiba que o sistema continuará sendo instantâneo e gratuito para as pessoas físicas. Continue a leitura por aqui e fique por dentro de mais detalhes em relação ao Pix

É verdade que o Pix vai ser cobrado?

Você que chegou por aqui com dúvidas em relação se o Pix vai ser cobrado, pode ficar tranquilo que não haverá nenhum tipo de cobrança em relação ao sistema de pagamentos instantâneos. Dessa forma, o Pix continua gratuito.

Porém, muitas pessoas desejam saber como surgiu esse boato que se espalhou, principalmente por meio do aplicativo de mensagens instantâneas, WhatsApp e também nas redes sociais.

O assunto começou a repercutir quando o Banco Central divulgou algumas novas regras para o Pix, que valeriam a partir de janeiro de 2023.

Aproveitando disso, algumas pessoas elaboraram essa fake news que haveria uma taxação do Pix, o que não é verdade. Essa gratuidade nas transações é, aliás, um dos motivos do grande sucesso que o sistema fez com os brasileiros, mudando assim a forma de fazer e receber pagamentos no dia a dia.

Sua facilidade também é um dos motivos de destaque. Até porque basta saber como fazer um Pix para que ele comece a fazer parte da sua vida.

Ainda em relação à taxação, saiba que o Pix continua sendo gratuito para Pessoas Físicas e MEIs, mas Pessoas Jurídicas precisa arcar com alguns custos – isso acontece desde 2021.

Já, quando falamos das pessoas físicas e MEIs, o BC nega planos de criar impostos que encareça esse serviço.

Quais as taxas cobradas ao fazer um Pix?

Dando sequência a essa questão das cobranças de Pix, é importante destacar que ela não haverá caso se enquadre na característica de pessoas físicas, porém pode existir cobranças extras quando se trata de pessoas jurídicas.

As pessoas que são MEI não sofrem a taxação do Pix, mas, a única exceção é para quem sabe como receber pelo pix para aceitar pagamentos em vendas de produtos, ou então de serviços, nesse caso haverá uma cobrança, por atuar como se fosse uma empresa.

Essa cobrança pode variar conforme a instituição financeira. Entre elas, pode ser cobrada apenas uma taxa para envio do Pix, por exemplo, ou então para situações de pagamento usando QR Code. Os valores de tarifas podem ser a partir de R$ 1 e chegar até mais de R$ 140.

Entre os aplicativos que não cobram taxa de pessoa jurídica para pagamento ou recebimento via Pix, o RecargaPay é um dos que se destacam. Por isso vale a pena conferir os benefícios conta PJ no RecargaPay

Pix em outros bancos

  • Banco do Brasil – 0,99% sobre o valor do envio via Pix
  • Banco Itaú – Percentual sobre o valor do envio limitado a R$ 9,60
  • Banco do Nordeste – 1,40% sobre o montante enviado por Pix

Pix RecargaPay

  • Taxa 0% sobre o valor do envio
  • Taxa 0% sobre o montante enviado por pix
  • Taxa 0% de percentual sobre o valor do envio

Como o Pix funciona?

O Pix é o verdadeiro parceiro das finanças dos brasileiros, isso porque ele facilita a forma de pagamento no dia a dia e ainda por cima não tem taxa, conforme outros tipos de transferência, como acontece com DOC, TED e boletos bancários, por exemplo.

Sendo assim, ele deve continuar dessa forma, sem nenhuma cobrança extra para pessoas físicas. 

Quem sabe o que é Pix, entende muito bem sobre essas facilidades. O sistema que chegou em novembro de 2020, foi criado pelo Banco Central para revolucionar as formas de pagamentos dos brasileiros, que atualmente até deixam o dinheiro de papel mais de lado.

Por conta da sua gratuidade, o sistema atraiu milhões de usuários e se tornou um verdadeiro sucesso, fazendo com que algumas outras alternativas, que eram taxadas, se tornassem praticante esquecida.

Quem utiliza Pix em seu dia a dia ainda conta com diversas outras funções que são gratuitas, como, por exemplo, o Pix Agendado, Pix Saque e Troco, entre outras.

No Pix Agendado, como o nome já sugere, você pode programar o pagamento do Pix, para ser feito no dia a horário escolhido. Já em relação ao último serviço citado, é possível ter um dinheiro no Pix e sacar ele em diversos estabelecimentos, em padaria, supermercados, como se fosse um caixa eletrônico.

Por fim, mais uma função, porém que não está atrelada ao Banco Central é o Pix com Cartão de Crédito. Ele permite pagar à vista alguns boletos ou transferências e até parcelar, porém, neste caso, os juros é determinado conforme a instituição financeira que escolher.

Quem paga pelo Pix?

O responsável por pagar pelo Pix é o Banco Central, que desenvolveu o sistema de pagamentos instantâneo.

Para não ficar sozinho nessa missão, os bancos que desejam oferecer esse serviço pagam ao Banco Central, com o objetivo de fazer a operação do Pix e ofertar essa possibilidade aos clientes. Ele é o responsável por pagar por toda a infraestrutura necessária para que todas as formas de pagamento via Pix que os usuários utilizam funcionem.

Já em relação às instituições financeiras, o Banco Central permite que elas façam cobrança de pessoas jurídicas para não haver um encarecimento do valor do Pix, atraindo assim também os bancos a manter a gratuidade do serviço para as pessoas físicas.

Sendo assim, o Pix é seguro e para isso precisa de uma colaboração de todas as instituições para que ele continue evoluindo a cada dia.

Conclusão

Se você chegou por aqui com aquela dúvida se o Pix vai ser cobrado, pôde solucionar ela e descobrir que ele segue sendo gratuito.

Além disso, aprendeu todos os benefícios do Pix e seus recursos. Descobriu ainda que existe uma taxação, mas que ela é para pessoas jurídicas e não físicas.

Por isso, é importante sempre buscar fontes confiáveis de informação e desconfiar de falsas notícias que circulam nas redes sociais ou no WhatsApp.
E vale um aviso, cuidado com as fake news e golpes aplicados com o Pix!