Pix é seguro? 4 estratégias para se proteger em 2024

O Pix é seguro. Porém, alguns golpes podem ocorrer por descuido das vítimas. Confira algumas estratégias que você pode utilizar para se proteger:

Use Pix Copia e Cola e QR Code

Neste tipo de pagamento, todas as informações para realizar o pagamento, como nome do destinatário, valor e banco de destino, estão em um único código, que pode ser em formato de números e letras ou de foto (que é lida pela câmera do celular e decodificada).

O maior benefício do uso do Pix QR Code está no fato de que a pessoa que vai transferir o dinheiro não tem acesso aos dados pessoais do titular da conta, o que dá mais privacidade e segurança. As informações que aparecem na hora de finalizar o pagamento são somente o nome da pessoa, o banco e os três últimos dígitos do CPF.

Já o Pix Copia e Cola é perfeito para pagamentos em que as pessoas estão longe uma da outra, o que impossibilita a leitura da foto, ou o celular da pessoa não suporte o escaneamento do QR Code. O Copia e Cola permite que todas as informações contidas na foto do QR Code sejam transformadas em código ou em um link.

Ele serve tanto para quem vai transferir o dinheiro quanto para quem vai receber o dinheiro.

Nunca compartilhe seus dados com estranhos 

Nenhum banco ou aplicativo de pagamento solicita os dados pessoais, ou a chave Pix em ligações telefônicas, ou em mensagens. Por isso, desconfie se receber ligações em que o atendente pede para confirmar seus dados cadastrais.

Muitos criminosos usam este tipo de golpe ao se passar por uma falsa central de atendimento do seu banco a fim de supostamente tirar dúvidas acerca do Pix. Durante esta ligação, os criminosos pedem seus dados e senhas e até mesmo que você faça um Pix como teste para efetivar o seu cadastro.

Quando a pessoa cai nesse golpe, dificilmente consegue ter esse dinheiro de volta, pois ele foi transferido por vontade própria. Por isto, nunca dê dados pessoais ou senhas, não informe documentos por ligações para confirmar a identificação e não faça transferências por telefone. Caso suspeite de golpe, não forneça informações, desligue o telefone e entre em contato com os canais oficiais do seu banco.

O ideal é tentar evitar ao máximo compartilhar dados pessoais que possam ser usados para descobrir outras informações. Por isso, a chave Pix que oferece mais segurança ao usuário é a chave aleatória, pois ela torna seu Pix anônimo. De qualquer forma, é possível cadastrar até 4 tipos diferentes de chaves. Pesquise antes qual é a melhor chave Pix para você.

Limite o seu saldo no Pix

Como o número de crimes envolvendo o Pix cresceram nos últimos meses, é aconselhável que você limite o valor de transferência Pix no aplicativo do banco. Você pode limitar de acordo com a quantidade de valores que você costuma enviar em um único dia. Dessa forma, criminosos não conseguirão roubar valores muito altos.

Crimes com o Pix têm sido comuns em sequestros relâmpagos ou em roubos de celulares para acessar o aplicativo do banco e realizar Pix para a conta do criminoso. Por este motivo, o Banco Central (BC) determinou que os aumentos do limite sejam feitos somente 24h depois de solicitados. Dessa forma, bandidos não vão conseguir aumentá-los antes que a vítima bloqueie as contas. Por exemplo, não será possível transferir R$50 mil pelo Pix da sua conta.

Além disso, o BC tem criado novas medidas de segurança para minimizar o acesso de criminosos às contas Pix. Uma delas é a autorização para que os bancos bloqueiem transferências via Pix por até 72 horas, caso haja suspeita de que a conta de destino esteja sendo usada para fraudes. Além disso, as transferências noturnas foram limitadas em R$ 1 mil entre pessoas físicas.

O BC determinou ainda que os bancos serão responsabilizados caso haja comprovação de que o golpe ocorreu por causa de falhas nos mecanismos de segurança deles.

Sempre use a autenticação de 2 fatores

Imagem: Utilizar fundo claro com alguma cor, elementos representativos do conteúdo e ressaltar três

Ela ajuda a bloquear o acesso de criminosos ao App do banco, o que dá mais segurança e impede que os golpes mais comuns do Pix aconteçam. Para isso, o celular pede uma senha extra antes de liberar o acesso a suas contas, seja do WhatsApp, e-mail, redes sociais ou bancos.

Este tipo de cuidado vai prevenir que hackers entrem em seus aplicativos e pratiquem atos ilícitos, como, por exemplo, pagamentos não autorizados no seu Internet Banking ou ter acesso ao seu WhatsApp para pedir que seus contatos transfiram valores para contas de terceiros.

Neste tipo de transação, a vítima raramente consegue reaver o dinheiro roubado, pois a transferência foi feita de forma espontânea, mesmo que motivada por um golpe. Por isto, se proteja e fique atento a contas suspeitas. Os meios mais comuns para autenticar em dois fatores são:

  • Pin
  • E-mail
  • Código enviado por SMS
  • I Token
  • Biométrico, por meio de digital ou foto da face

O Pix é seguro tecnicamente?

O Pix tem transformado o sistema financeiro do país e está sendo cada vez mais utilizado pelos brasileiros. Para se ter uma ideia, o número de usuários com chaves Pix cadastradas somou 51 milhões em março deste ano, com alta de 72% em relação ao mesmo mês de 2021.

Com o número crescente de transações, é normal que chame a atenção dos criminosos. Somente entre abril e maio deste ano, o país registrou um aumento de 350% no número de tentativas de golpe com o Pix, em comparação com os dois meses anteriores, segundo a PSafe, empresa de cibersegurança.

A tentativa de golpe se inicia com o furto de senhas por meio de Phishing, que utiliza sites falsos, links ou mensagens do WhatsApp como isca para ter acesso ao computador ou celular da vítima.

Quem sabe o que é Pix entende que este é um sistema seguro, por mais que a quantidade de golpes tenha aumentado. Ele foi criado pelo Banco Central (BC) e conta com os mesmos protocolos de segurança do TED e do DOC, além das camadas de segurança disponibilizadas pelos bancos, como biometria e reconhecimento facial.

Caso você ainda não esteja familiarizado com este sistema, tente fazer testes para treinar com pessoas de sua confiança e que já usem o Pix. Envie dinheiro e peça para que te devolvam pela mesma plataforma, pois o processo não tem custo tanto para quem envia quanto para quem recebe o dinheiro.

Conclusão

Os golpes na internet sempre existiram, porém, com a chegada do Pix eles tomaram uma nova dimensão, com criminosos mais especializados e rápidos. Como o Pix permite a chegada do valor instantaneamente, a vítima não tem tempo hábil para perceber o golpe e cancelar a transferência.

Por este motivo, há a necessidade de tomar ainda mais cuidado ao enviar dinheiro a terceiros. Alguns bancos têm, inclusive, disponibilizado planos de seguros que cobrem danos relacionados ao Pix, com mensalidades de R$ 1 a R$ 20 por mês, a depender do tipo de conta e da instituição ofertante.

Por fim, siga as dicas apresentadas neste artigo. Fique atento às mensagens enviadas por WhatsApp ou às ligações suspeitas. Sempre confirme com o beneficiário do Pix se os dados estão corretos. Por fim, não deixe de relatar para as autoridades caso seja vítima de algum golpe.