Consultar Pix – Aprenda a achar cada chave cadastrada

Para consultar o Pix e saber onde cada chave está cadastrada, o leitor precisará:

O Pix é um sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central em 2020. Ele permite realizar transações financeiras de maneira rápida, prática e segura, funcionando 24 horas por dia, 7 dias por semana. O Pix veio para revolucionar o modo como as pessoas fazem transferências e pagamentos no Brasil.

A aceitação do Pix na sociedade brasileira foi ampla e rápida, com mais de 138 milhões de usuários cadastrados. Isso mostra como o sistema se tornou popular e eficiente, sendo amplamente utilizado em diversas situações do cotidiano. Além disso, o número de chaves Pix cadastradas é o dobro da população, o que indica a abrangência e penetração do serviço no país.

Por ser tão popular, é essencial que você saiba como consultar o Pix e verificar onde estão todas as suas chaves cadastradas. Afinal, é possível que ele precise passar uma chave para alguém, receber dinheiro, mas não saber em qual conta a chave está vinculada.

Para consultar as chaves cadastradas do Pix usando o RecargaPay, siga o tutorial abaixo:

  1. 1 – Baixe o aplicativo

    Baixe o app RecargaPay no seu smartphone

  2. 2 – Vá até a opção do Pix

    Na aba de Pix, você deverá clicar em “Ver mais”

  3. 3 – Clique em “Minhas chaves”

    Desça a página do aplicativo até encontrar a opção “Minhas chaves” e selecione ela

  4. 4 – Veja as chaves cadastradas

    Agora você vai conseguir visualizar todas as chaves cadastradas na plataforma e até mesmo adicionar uma nova chave

No RecargaPay, você também pode adicionar, remover e editar todas as chaves presentes. Caso a chave já esteja cadastrada em algum banco, o app identifica o erro e perguntará se você deseja fazer a portabilidade. Assim, é possível saber onde a chave está cadastrada.

A popularização do Pix é um marco importante no sistema financeiro brasileiro, e o Banco Central continua trabalhando para aprimorar e expandir o serviço. Com o RecargaPay, você tem uma ferramenta prática para gerenciar suas chaves Pix e garantir que suas transações sejam realizadas com eficiência e segurança.

Como consultar Pix com Registrato?

Se você está buscando uma maneira de consultar o Pix e verificar todas as chaves cadastradas, saiba que existe outra opção além do aplicativo do seu banco: o Registrato. Este é um serviço oficial do Banco Central do Brasil que permite o acesso a diversas informações financeiras, incluindo as chaves Pix cadastradas.

O Registrato pode ser acessado por meio de uma conta prata do Governo. Para obtê-la, é necessário realizar um cadastro utilizando o Internet Banking de um dos bancos conveniados, que são: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica, Itaú, Santander, Sicoob e Sicredi.

Após se registrar na opção “Registrato” no Internet Banking desses bancos, siga os passos abaixo para consultar Pix:

  • Acesse o site do Registrato 
  • Clique em “Entrar com conta gov.br”
  • Faça login utilizando seu CPF
  • Na aba “Chaves Pix”, clique na opção “Consultar”

Seguindo esses passos, você poderá consultar todas as chaves Pix cadastradas em seu nome, facilitando o controle e a organização das suas transações financeiras. A utilização do Registrato é uma alternativa segura e oficial para verificar suas informações relacionadas ao Pix.

Quantas chaves Pix posso ter cadastradas?

Você pode ter até 5 chaves Pix cadastradas em cada conta bancária como Pessoa Física e até 20 chaves em cada conta se for Pessoa Jurídica. Existem diferentes tipos de chave Pix e cada uma delas tem suas particularidades e usos específicos.

Por isso, vamos te explicar cada uma das chaves Pix existentes abaixo!

  • CPF: é uma opção formal para identificar a pessoa em casos de processos, pagamento de indenizações e pensões, além do salário. É uma forma prática de realizar transações financeiras que envolvam a identificação do titular da conta.
  • E-mail: permite que você realize transações usando seu endereço eletrônico como identificador. Ideal para quem prefere não compartilhar informações pessoais, como CPF ou número de telefone, em determinadas situações
  • Telefone: é uma opção bastante prática para quem deseja realizar transações financeiras rapidamente. Basta informar o número do celular para que o dinheiro seja enviado ou recebido
  • Chave aleatória: sequência alfanumérica gerada pelo sistema do Pix, que não possui relação direta com os dados pessoais do usuário. Essa chave é indicada para quem busca maior privacidade, especialmente ao realizar transações com desconhecidos

É importante ressaltar que não existe uma melhor chave Pix, pois cada chave é indicada para uma situação específica. A chave de CPF, como mencionado, é mais formal e deve ser usada para identificar a pessoa em casos específicos. Já a chave aleatória é mais privada e pode ser usada para pagar e receber valores estranhos.

O ideal é que você tenha pelo menos uma chave de cada tipo cadastrada e, no mínimo, uma chave para cada conta que possuir. Dessa forma, é possível movimentar o dinheiro com maior facilidade e segurança, aproveitando as vantagens do Pix em diversas situações. 

Lembre-se de que é possível ter mais de uma chave cadastrada, proporcionando ainda mais flexibilidade nas transações financeiras.

Há um limite para transferência por chave?

O Pix é um sistema de pagamentos e transferências bastante disponível e livre, no entanto, há um limite para o valor que se pode transferir. Esse limite não está atrelado às chaves, mas sim ao uso diário e mensal do Pix.

O Banco Central permite que cada instituição financeira determine o próprio limite por padrão para os usuários. No caso do RecargaPay, por exemplo, o limite é de R$20 mil por dia e R$40 mil por mês

Já os bancos tradicionais costumam utilizar uma porcentagem do valor do TED como limite. Portanto, o limite do Pix pode variar conforme a instituição financeira.

Se você desejar movimentar uma quantia maior de dinheiro, como transferir 50 mil, será necessário alterar o limite estabelecido. A alteração para aumentar o limite leva de 24 a 48 horas para ser aprovada, enquanto para diminuir o limite, a mudança é imediata.

Além disso, é importante mencionar o Pix Noturno, uma modalidade de transferência com limitações específicas. Durante o horário noturno, só pode enviar até R$1.000 por transação

Pelas novas regras do Pix estabelecidas em 2023, o usuário pode escolher se deseja que o horário noturno comece às 20h ou às 22h.

Portanto, apesar de o Pix ser um sistema bastante flexível, é importante estar atento aos limites estabelecidos pela instituição financeira e às regras específicas, como o Pix Noturno. Dessa forma, é possível usar o Pix de maneira consciente e segura, evitando problemas e transtornos relacionados aos limites de transferência.

O que preciso para usar o Pix?

Para entender melhor o que é Pix, é importante saber quem pode utilizar esse sistema e quais são os requisitos necessários para a sua utilização. De acordo com as regras de adesão estabelecidas pelo Banco Central, podem utilizar o Pix:

  • Pessoas físicas e jurídicas com conta corrente, poupança ou conta de pagamento pré-paga em uma instituição financeira participante do Pix
  • Instituições financeiras e de pagamento autorizadas a funcionar pelo Banco Central, bem como as cooperativas de crédito e os bancos estaduais que estejam aptos a realizar as operações do Pix

Para começar a usar o Pix, siga os passos abaixo:

  • Verifique se a sua instituição financeira participa do Pix e se a sua conta é elegível para o uso do sistema
  • Cadastre-se no aplicativo ou site da sua instituição financeira e crie suas chaves Pix, como CPF, e-mail, telefone ou chave aleatória
  • Acesse a opção de Pix no aplicativo ou site da sua instituição financeira e realize transferências, pagamentos e outras transações financeiras utilizando as chaves cadastradas

É possível parcelar o Pix?

Sim, você pode realizar um Pix Parcelado. O Pix parcelado funciona de forma diferente do Pix comum, pois utiliza o cartão de crédito como meio de pagamento. Nesse caso, o dinheiro é debitado do saldo disponível no cartão e lançado na fatura como se fosse uma compra. 

Para quem recebe o valor, a operação é idêntica a um Pix comum, mas para quem paga, o valor pode ser dividido em até 12 vezes.

Vale destacar que o Pix parcelado é uma operação de crédito e, portanto, há incidência de juros. Cada aplicativo que realiza o Pix com cartão de crédito cobra uma taxa diferente. No caso do RecargaPay, a menor taxa do mercado é aplicada: 3,49% para usuários Prime+ e 3,99% para usuários comuns.

Para realizar um Pix com cartão de crédito no RecargaPay, siga os passos abaixo:

  • Baixe o app RecargaPay e crie sua conta
  • Cadastre seu cartão de crédito no aplicativo
  • Selecione a opção “Pix” no menu principal
  • Escolha a opção “Pagar com Pix”
  • Informe a chave Pix do destinatário ou escaneie o QR Code
  • Insira o valor da transferência
  • Selecione a opção “Cartão de Crédito” como forma de pagamento
  • Escolha o número de parcelas desejado
  • Confirme a operação e pronto

É possível agendar envios pelo Pix?

Sim, você pode utilizar o Pix Agendado, uma funcionalidade que permite programar envios de dinheiro para uma data futura. Com o Pix Agendado, é possível agendar transferências em até 60 dias após a data de programação.

O funcionamento do Pix Agendado é simples: o usuário define a data e o valor a ser enviado, e o dinheiro é debitado da conta na data programada. Caso não haja recursos disponíveis na conta no dia do envio, a transferência será automaticamente cancelada.

O Pix Agendado cai nas primeiras horas do dia programado para a transferência. Até o momento do envio, o agendamento pode ser facilmente cancelado com apenas um clique, sem problemas. No entanto, uma vez que o Pix seja enviado, ele não poderá ser cancelado.

O Pix Agendado é uma ótima opção para quem deseja programar pagamentos e transferências com antecedência, garantindo maior controle financeiro e organização das contas a pagar e receber.

O Pix é seguro?

O Pix é um sistema seguro do ponto de vista técnico, o que justifica sua ampla adoção pelos usuários. A segurança do Pix é garantida por métodos de proteção criados pelo Banco Central, incluindo criptografia e medidas de segurança digital.

A proteção do Pix funciona em camadas. Há proteções para a identidade do usuário, como o uso obrigatório de certificado digital ou token pelos aplicativos. Além disso, existem proteções técnicas no sistema, como criptografia nos aplicativos e no servidor do Banco Central. Há também métodos para recuperar recursos em casos de falhas e golpes, como o Mecanismo Especial de Devolução.

Todos os envios realizados pelo Pix são perfeitamente rastreáveis e identificáveis pelo Banco Central e pelas instituições financeiras que participam do sistema. Isso garante maior transparência e segurança nas transações.

Entretanto, é importante destacar que o único risco associado ao Pix são os golpes e sequestros realizados por quadrilhas especializadas. Essas atividades ocorrem devido à impossibilidade de remover completamente o elemento humano do sistema. No entanto, fora essas situações, o sistema Pix é considerado seguro e confiável.

Portanto, o Pix é um sistema seguro, porém, é fundamental que os usuários mantenham-se atentos e adotem medidas de proteção pessoal para evitar golpes e fraudes relacionados ao uso do serviço.

Conclusão

Este artigo abordou diversos aspectos do Pix, um sistema de pagamentos instantâneos que vem transformando a forma como as pessoas realizam transações financeiras no Brasil. Discutimos desde o funcionamento básico do Pix até questões mais específicas, como segurança, tipos de chaves e limites de transferência.

Recomendamos que os leitores aproveitem os benefícios oferecidos pelo Pix, como a facilidade, rapidez e baixo custo das transações. No entanto, é importante estar sempre atento às questões de segurança e adotar medidas de proteção pessoal para evitar golpes e fraudes relacionados ao uso do serviço.

Por fim, é fundamental lembrar que o Pix é um sistema em constante evolução e atualização, portanto, é essencial acompanhar as novidades e mudanças nas regras e funcionamento do serviço. Acompanhar as informações divulgadas pelo Banco Central e pelas instituições financeiras pode garantir uma experiência ainda melhor com o Pix.

Perguntas Frequentes

Quantas chaves Pix posso ter cadastradas?

Há um limite para transferência por chave?

O limite não está atrelado às chaves, mas sim ao uso diário e mensal do Pix. Cada instituição financeira pode determinar seu próprio limite.

É possível parcelar o Pix?

Sim, o Pix Parcelado permite fazer pagamentos usando o cartão de crédito, com o valor sendo dividido em até 12 parcelas.

É possível agendar envios pelo Pix?

Sim, o Pix Agendado permite programar um envio de dinheiro para uma data futura em até 60 dias depois da programação.

O Pix é seguro?

O Pix é seguro do ponto de vista técnico, com medidas de proteção como criptografia e segurança digital. No entanto, é importante estar atento a golpes e fraudes relacionados ao uso do serviço.